Ano Novo, tudo melhor!

Neste mundo contemporâneo, não basta ser eficiente ou mesmo um craque dentro da sua especialidade, tratando das questões administrativas ou resolvendo os mais complicados problemas. É preciso também demonstrar uma enorme capacidade de se comunicar com as pessoas.
 
Hoje faz parte de qualquer profissão, ou do profissional inteligente, o bom relacionamento com companheiros da empresa, clientes e formadores de opinião. Principalmente em encontros fora da empresa. Para o crescimento profissional, bem como para o sucesso do seu negócio, os almoços ou jantares de negócios são momentos importantes. É um dos pontos básicos do seu marketing pessoal.
 
Por isso, é fundamental saber como se comportar até mesmo durante uma simples refeição. É preciso estar preparado para usar o bom senso e a observação: perceber quando é bom ficar quieto, quando é hora de mudar de assunto, quando o clima fica pesado, quando é o caso de fazer piada ou simplesmente ser um bom ouvinte.
 
E, como éInício de um novo ano e planos para investir em si mesmo combinam como feijão e arroz, como goiabada e queijo ou como cerveja e praia. O que você preferir. Desta vez decidi pedir ajuda de especialistas, e não deixei por menos: fui logo procurar os educadores da UNESCO.
 
Sabe o que eles dizem sobre o novo profissional? Aquele que está antenado com seu tempo e que já percebeu que o século XXI começou faz tempo e que tudo está mudando? Depois de muitas pesquisas, listaram oito características que devem ser perseguidas por quem quer se dar bem nesse cenário da globalização e da competitividade. Para que você saiba mais, aí vão as recomendações de quem sabe do que está falando:
 
1- Ser flexível e não especialista demais. Ter capacidade de agir de acordo com as situações apresentadas, atendendo às necessidades do mercado, moldando sua conduta com o objetivo de aumentar a competência.
 
2- Ter mais criatividade do que informação. A preocupação não deve ser a de armazenar grande quantidade de informação, pois ela está facilmente disponível em forma de meios de comunicação, inclusive na internet. O diferencial desejável é a capacidade de processar e utilizar as informações de forma original e inovadora.
 
3- Estudar durante toda a vida. A velocidade dos avanços em todas as áreas do conhecimento exige educação continuada. Atualizar-se e reciclar-se constantemente compõe o cenário do chamado desenvolvimento humano.
 
4- Adquirir habilidades sociais e capacidade de expressão. A aquisição de habilidades na comunicação e no relacionamento interpessoal passa a ser imprescindível para a qualidade do atendimento ao cliente e para a integração de grupos de trabalho
 
5- Assumir responsabilidades. No novo mundo de trabalho as pessoas são mais responsáveis por suas ações e exercem com mais freqüência e intensidade papéis de liderança. Estão desaparecendo cargos e funções estanques e surgindo postos de trabalho destinados ao cumprimento de tarefas específicas.
 
6- Ser empreendedor. Não é mais suficiente cumprir ordens e realizar bem sua tarefa. O mercado busca pessoas capazes de agregar valor ao seu trabalho, através de ousadia, criatividade e inovação, atributos do empreendedor.
 
7- Entender as diferenças culturais. O mundo globalizado exige flexibilidade cultural para as pessoas poderem interagir globalmente. Cada pessoa, ainda que não realize tarefas internacionais, deve estar impregnada da capacidade de compreender, respeitar e conectar-se com diferenças culturais e da percepção dos fatos da vida.
 
8- Adquirir intimidade com as novas tecnologias. Independentemente da idade, do nível cultural e da condição social, qualquer pessoa que pertença ao mercado de trabalho deve ser treinada para aceitar e conviver com as novas tecnologias emergentes, em especial a informática e a internet.
 
Entendeu? Então seja bem-vindo ao novo ano, aos novos planos e ao novo tempo. Aquele que não pára de começar!
 
a sua carreira e seu futuro profissional que estão literalmente à mesa, é bom estar atento para pequenos detalhes que fazem a diferença.
Escolha bem o local – em almoço de negócios não tente inovar com restaurantes exóticos ou aquele boteco que tem uma picanha maravilhosa. Deixe para ir a estes locais com os amigos nos fins de semana.
 
Leve em conta as preferências gastronômicas – afinal ele pode ser vegetariano – e o temperamento do seu convidado. Se ele adora ser visto, não haverá problema em levá-lo ao restaurante da moda. Porém, se for avesso a multidões, o mesmo lugar pode se transformar numa imensa cilada. O melhor mesmo é marcar o encontro em um local onde você já é conhecido. Assim, as chances de ser melhor atendido aumentam consideravelmente. Faça sempre a reserva antecipadamente: evitará muitos transtornos.
 
Pontualidade é uma questão de respeito – Demonstra profissionalismo e elegância acima de tudo. Além disso, chegar na hora ou mesmo uns minutos antes lhe dará tempo para se recompor do caos do trânsito e pensar nas prioridades do que será conversado. Finalmente, o estresse de estar atrasado é muito maior do que o de chegar antes e ficar esperando, ainda que seja meia hora.
 
E, já que você chegou antes, é delicado esperar por seu convidado para pedir o primeiro drinque. É claro que nada o impede de ir bebericando uma água ou refrigerante. Por falar em drinques, todo cuidado é pouco: se tomar um antes do almoço evite pedir vinho. Ou, se o fizer, beba com moderação, pois é preciso estar no controle o tempo todo e não “alegrinho” ou sonolento demais…
 
Cumprimente de longe – Uma vez à mesa, nem pense em se levantar para cumprimentar quem quer que seja, por mais prestígio que tal pessoa possa lhe trazer. É uma enorme falta de consideração para com seus companheiros. Um simples aceno de cabeça, mesmo que de longe, dá conta do recado. Se alguém vier cumprimentá-lo, levante-se e faça uma rápida apresentação. Lembre-se: o que importa são as pessoas que estão com você à mesa.
 
Na hora de fazer o pedido, deixe seu convidado à vontade e, no máximo, sugira a especialidade do restaurante. Não queira impressionar pedindo o prato mais caro e complicado. Seja simples na escolha e nem ouse falar sobre os problemas do colesterol. Sugira o vinho com a ajuda do maître ou sommelier, mas, se perceber que ninguém está muito propenso a beber, não insista.
 
A hora certa – O assunto do encontro deve ser abordado sem pressa. É bom primeiro pedir os pratos para depois abordar o assunto. A não ser que seu convidado puxe a conversa, deixe-o relaxar antes de entrar no tema. E, uma vez resolvidos os pontos principais, passe novamente para os assuntos gerais e só volte a abordar o tema já na saída, como conclusão do encontro.
 
Por melhor que esteja a conversa, almoços ou jantares de negócios têm hora para acabar. Você pode oferecer mais um café, ou simplesmente colocar o guardanapo sobre a mesa, indicando que o encontro está no fim. E peça a conta muito discretamente.
Se você convidou, mesmo sendo mulher, é natural que pague a conta. Quando as duas partes já se conhecem de relacionamentos profissionais anteriores, é perfeitamente aceitável dividir. E, claro, se você quiser ser realmente elegante, acerte a conta antes, sem que ninguém perceba.
 
Texto publicado sob licença da revista Vencer.
Todos os direitos reservados.


Visite o site da revista: www.vencer.com.br