Haja resistência

É muito comum que a palavra endurance seja encontrada em textos de esportes. Trata-se de uma expressão inglesa, cuja tradução mais precisa é “resistência”. Portanto, as provas de “endurance” são na verdade provas de “resistência”, em que o que vale não é a velocidade com que se corre ou o peso que se levanta. O que importa é por “quanto tempo” o atleta consegue manter-se em atividade com regularidade.
 
Há provas de endurance em corrida, natação, automobilismo, vela, jet ski, em pistas, off road, em academias. Treinamentos de resistência são totalmente diferentes dos treinamentos para velocidade ou força. Suplementos alimentares para os atletas e equipamentos de alta durabilidade para os motores são sempre desejáveis.
 
Endurance também é o nome do veleiro do navegador irlandês Ernest Shackleton, que zarpou em 8 de agosto de 1914 da Inglaterra, em direção à Antártica, com escala para suprimentos em Buenos Aires. Transportava uma equipe de cientistas e exploradores além dos marinheiros.
 
O projeto original consistia em circunavegar a Antártica, mas as coisas não correram como planejado o que acabou provocando uma espetacular prova de resistência, não do barco, mas das pessoas. O Endurance ficou aprisionado no gelo, em virtude do mar ter congelado de maneira mais rápida do que o esperado para a época do ano. A solução foi cruzar o continente antártico a pé. Haja endurance.
 
Na atualidade, exemplos de alta resistência são colhidos em outras áreas além do esporte ou das expedições polares. O mundo profissional com muita freqüência exige altas doses de resistência humana por diversos motivos. Alguns deles:
 
– Metas cada vez mais ambiciosas das organizações em termos de faturamento;
– Preocupação com a economia e com a otimização de recursos quase paranóica;
– Exigências crescentes na qualificação dos profissionais;
– Absorção estafante dos executivos por suas organizações;
– Ambientes estressantes em que a inteligência emocional é permanentemente testada;
– Incertezas provocadas pelas mudanças freqüentes de cenário econômico e político.
 
Como se vê, no sentido profissional, endurance não quer dizer apenas resistência. Também pode ser traduzida corretamente por paciência, tolerância e duração. Muitas vezes essas qualidade são utilizadas no dia a dia das organizações. Ter paciência para aguardar o momento adequado para a ação. Desenvolver tolerância para com as diferenças e com as incertezas. Manter-se em permanente estado de aprimoramento pessoal e profissional. Tudo em nome do resultado e da durabilidade (no emprego).
 
O comandante Shackleton conseguiu chegar lá porque se superou e manteve a resistência de seu grupo. O nome de seu barco foi profético. Meu caro leitor, você já pensou no nome de seu próprio barco, nesse mar revolto das incertezas profissionais?
 
Texto publicado sob licença da revista Você s/a, Editora Abril.
Todos os direitos reservados.

 
Visite o site da revista: www.vocesa.com.br