“Pais e Educadores de Alta Performance” de Içami Tiba

Muitos dos nossos guerreiros foram formados nas vossas escolas e aprenderam toda a vossa ciência. Mas, quando eles voltavam para nós, eles eram maus corredores, ignorantes da vida da floresta e incapazes de suportarem o frio e a fome. Não sabiam como caçar o veado, matar o inimigo e construir uma cabana, e falavam nossa língua muito mal. Eles eram, portanto, totalmente inúteis. Não serviam como guerreiros, como caçadores ou como conselheiros.
 
Ficamos extremamente agradecidos pela vossa oferta e, embora não possamos aceita-la, para mostrar nossa gratidão oferecemos aos nobres senhores que nos enviem alguns de seus jovens, que lhe ensinaremos tudo o que sabemos e faremos, deles, homens”.
 
O texto acima é parte de uma carta atribuída a um chefe índio em resposta à oferta dos colonizadores americanos para que os jovens da tribo fossem educados em suas escolas. Com amplo significado em Pedagogia e Psicopedagogia, seu enunciado nos remete a duas reflexões: a de que o objeto do aprendizado tem que estar relacionado ao contexto da vida do estudante, e a de que educar significa aumentar a performance para viver.
 
Quando o médico, educador e escritor Içami Tiba nos presenteia com mais este livro, através do qual manda um recado objetivo para os pais e educadores de nosso país, na prática ele está relacionando alguns fatores entre si: educação com performance, teoria com prática, conteúdo com significado e vida com felicidade. Tiba tem legitimidade para tanto. Após mais de quarenta anos dedicados à clínica de adolescentes e famílias, ele colecionou fatos e percepções que lhe forneceram material para trinta livros (até agora…), incluindo alguns best-sellers, como seu irretocável Quem Ama Educa.
 
Todo ser humano é um educador em potencial, pois já nasce um aprendiz. Se ninguém lhe ensina nada, aprende com as próprias experiências, diz, alertando para o fato de todos nós – mas principalmente as crianças –, aprendemos com o ambiente em que estamos inseridos, através da interação com as atitudes das pessoas e com os valores reinantes. Aprender é próprio da espécie humana, e cabe aos educadores direcionarem esse fantástico potencial para que ele não se desperdice na construção de maus hábitos e condutas que não agregam valor.
 
Há muitos séculos Sócrates – provavelmente o primeiro grande educador – nos alertou para esse fato, criando a expressão maiêutica, que, em grego, significa a arte de dar à luz. Segundo o filósofo, a função do mestre seria a de ajudar o conhecimento a nascer, o aluno a construir seu próprio saber. Para tanto, quem assume a função de educar – a mais nobre entre as tarefas humanas – assume, ao mesmo tempo, a imensa responsabilidade de influenciar mentes, almas e futuros.
 
Se a educação do jovem não for direcionada, acondicionada por saberes úteis e valores elevados, ele aprenderá de qualquer maneira, só que, neste caso, sem garantia de que estará sendo formado um cidadão digno, com sua performance orientada à produção do bem.
 
Por isso Tiba insiste que todos somos educadores – ou educacionistas, para usar uma expressão do senador Cristóvão Buarque – e que não podemos deixar de investir em nossa qualificação para tal. Sua orientação terapêutica, como psiquiatra, é a de ajudar pessoas a se inserirem no processo permanente do desenvolvimento humano. Ninguém passa pela vida sem aprender e sem ensinar. Trata-se de um destino genético próprio de nossa espécie. Estamos condicionados a aprender e a ensinar, entretanto, essa missão precisa ser aprimorada constantemente, pois o conhecimento cresce exponencialmente e os valores humanos devem ser polidos diariamente, para evitar que a poeira da luta pela sobrevivência social retire seu lustro.
 
O precioso deste livro é ser um cadinho intelectual, em que teorias e experiências, conceitos clássicos e conselhos práticos, se encontram e se fundem em uma mensagem final de grande profundidade e imensa utilidade. Apresentado de forma simples, sem sofisticação desnecessária, mas com uma linguagem clara e correta, o Pais e Educadores de Alta Performance atinge o objetivo a que se propõe: tirar os temas da educação do ambiente acadêmico, hermético, e colocá-lo ao alcance de todos, especialmente daqueles que mais precisam aprimorar-se enquanto educadores: os pais.
 
Afinal, como disse o chefe índio, o que precisamos, é transformar jovens em homens e mulheres capazes de, com o poder de seus saberes e com a força de seu caráter, construir a sociedade que tanto almejamos para nosso país, mas rica, solidária e justa.
 
Ser de alta performance, na visão criativa do autor, é dar mais Passos Além do que ficar Marcando Passo. Pois foi o que ele fez com este livro, deu mais um Passo Além, para que seus leitores – e aqueles que serão influenciados por eles –, possam dar o seu próprio passo, seguro e otimista. Aliás, otimista porque seguro, e seguro porque educado. Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *