Você e seu brilho!

Um dia desses, não resistindo à fascinação da Tiffany’s e Co. entrei na mítica joalheria recém inaugurada em São Paulo, em cuja matriz, em Nova York, Haudrey Hepburn gravou seu nome em uma aliança de fantasia, encontrada em um pacote de pipocas, em uma cena carregada de simbolismo, no filme Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany’s), e aprendi mais um significado para a palavra lucidez.
 
A lapidação diferenciada, que confere mais brilho aos diamantes é patente internacional da Tiffany’s, chama-se simplesmente Lúcida. Sabe porque? Porque é o nome que se dá à estrela mais brilhante de uma constelação qualquer. A estrela que se diferencia, que agrupa as demais ao seu redor e que impressiona pela luz que emana.
 
Entre as pessoas não é diferente. Há as que brilham mais. Entre um grupo de trabalho, sempre alguém se destaca. Numa roda de conversa, alguém tem idéias mais claras. Lembra da turma da faculdade, na hora de fazer o trabalho, quando um dos colegas, talvez você, acabava “carregando o piano”?
 
E qual é a luz que as pessoas lúcidas emanam? Ora, a mesma dos diamantes. A que vem de fora! Ou seja, essas pessoas têm como característica, a capacidade de percepção (dos fenômenos ao seu redor), de análise (da qualidade desses fenômenos) e de exteriorização (do deduzido através de suas análises).
 
Decisões costumam ter, ou não, lucidez. Reconhecemos, e valorizamos, as pessoas capazes de decidir com lucidez, com sentimento de justiça, considerando todas as variáveis e priorizando as urgências.
 
Como é bom conviver com alguém lúcido. Aquela pessoa que passa a sensação que não só está escutando, mas também está entendendo. E analisando. E compreendendo. E valorizando. E respeitando o que você está falando.
 
A lucidez gera comunicação eficaz. Produz resultado. Cria ambientes favoráveis. É, portanto, qualidade essencial à liderança. Pode um líder não ser lúcido? Não. Não será um líder. Será apenas alguém que dá ordens, correndo o risco de transformar-se em um tirano, pois a lucidez na liderança é o que nos passa os sentimentos de segurança, de justiça e de certeza de rumo.
 
Que tal ser assim? Brilhante, diferenciado, aglutinador, impressionante? Qualidades das pessoas lúcidas. Daquelas que são perceptivas, reflexivas, proativas, confiáveis. E sabe donde vem essas qualidades? Só de um lugar: da educação. Entre os humanos, lapidação é sinônimo de educação.
 
Educação formal, educação corporativa, educação transversal. Cultura profissional, cultura organizacional, cultura geral. Como anda o seu brilho? Você consegue iluminar seu próprio caminho e o dos outros? Ou precisa da luz alheia para se orientar? Quem sabe até se irrita com o brilho de quem está por perto. Usa óculos escuros emocionais, para interceptar o brilho dos outros e esconder sua própria opacidade.
 
Oriente-se, rapaz! Aprimore-se e aumente seu brilho, ou estagne e fique pálido. Brilhante ou opaco. Lúcido ou confuso. Questões de opção!
 
Texto publicado sob licença da revista Vencer.
Todos os direitos reservados.


Visite o site da revista: www.vencer.com.br